86a. Semana Euclidiana - 15/08/98
Ciclo de Estudos Euclidianos - Básico

 

Prof. Marcos De Martini

1. Ao analisar a estratégia adotada por Moreira César, Euclides da Cunha:

  1. identifica sua originalidade, se comparada às expedições anteriores.
  2. mostra que a tática de guerra adotada por Moreira César era a única adequada para aquela região.
  3. qualifica os sertanejos como hábeis guerreiros e estrategistas .
  4. demonstra que a tática adotada repete erros anteriores, variando apenas com a divisão em duas colunas.
  5. Somente as alternativas A e C estão corretas.

 

2. Ao estudar os aspectos do terreno de guerra, Euclides da Cunha entende que ele pode favorecer indiferentemente os dois beligerante. Ele escreve: "...um aliado incorruptível do sertanejo em revolta. Armam-se para o combate; agridem". Está se referindo:

  1. aos índios que habitavam a região e aliaram-se aos jagunços.
  2. Aos obstáculos montanhosos que dificultavam a marcha das tropas.
  3. Às caatingas que abrem-se em várias trilhas.
  4. Aos jesuítas que viviam na região desde a época da colonização.
  5. Todas estão corretas.

3. Ao analisar as batalhas da Guerra de Canudos, Euclides assim descreve um de seus principais comandantes: " O aspecto reduzia-lhe a fama... pernas em parentesis... inapto para a carreira que abraçara". Refere-se a:

  1. General Arthur Oscar.
  2. Coronel Tamarindo
  3. Marechal Bittencourt.
  4. General Savaget.
  5. Coronel Moreira César.

 

Prof.a. Rosângela Gomes Pereira

4. O clima do Sertão apresenta:

  1. temperaturas amenas.
  2. Semi-árido com secas prolongadas.
  3. Tropical com uma estação seca e outra chuvosa.
  4. Chuvas bem distribuídas durante o ano.
  5. Variações de temperatura bem equilibras.

5. O rio Vaza-Barrís ( rio temporário), corre por serras e morros, entre os quais destacam-se os da:

  1. Serra Canabrava e Morro da Favela.
  2. Serra do Cambaio e Serra Aracati.
  3. Serra Cambuí e Monte Santo.
  4. Serra Caipã e Jeremoabo.
  5. Serra de Cocorobó e Cumbe.

6. A vegetação xerófila (caatinga), se diferencia daquelas de outras paisagens naturais. Ela é resultado de:

  1. chuvas bem distribuídas o ano todo.
  2. Solo pedregoso, misturado com argila.
  3. Falta de uniformidade na precipitação e distribuição das chuvas.
  4. Solo raso, com desgaste lento.
  5. Solo com cloreto de sódio, salitre e gesso.

Prof. Lásaro Dias

7. No livro "Os Sertões" Euclides da Cunha chama a atenção para o nordeste brasileiro, uma das áreas mais esquecidas e abandonadas do nosso país. A esse abandono e esquecimento podemos acrescentar alguns fenômenos naturais que contribuem para agravar as condições de sobrevivência do nordeste; são eles:

  1. fome, cultivo de maconha, prostituição, poluição e latifúndios;
  2. b )chuvas irregulares, relevo que impede a penetração das massas formadoras de chuvas, a vegetação pobre da caatinga, secas prolongadas e excesso de luminosidade solar durante o ano.
  3. c)Excesso de luminosidade solar durante o ano, desinteresse político, vegetação degradada e latifúndios.
  4. d) Excesso de montanhas, vegetação rasteira e falta de chuvas.
  5. e) Contrabando de produtos alimentícios e esquecimento político.

8. A vegetação da caatinga que predomina na zona do sertão nordestino sofre um processo de degradação desde o período Pleistoceno. A partir desse período geológico a caatinga começa a apresentar características como:

  1. empobrecimento do solo, queimadas constantes, agricultura intensiva e inundações.
  2. Inundações, queimadas constantes, ação humana e chuvas torrenciais.
  3. Fragilidade da vegetação, solos expostos a horas excessivas de raios solares, solos pobres, rasos e arenosos, secas prolongadas e ação do homem.
  4. Desmatamento e chuvas torrenciais.
  5. Queimadas e utilização excessiva do solo.

9. Mais uma vez estamos assistindo e convivendo, através dos meios de comunicação, com a questão da seca no nosso Nordeste que atinge e dificulta a vida de milhares de brasileiros. Esse fenômeno que afeta esta região do Brasil ocorre devido a:

  1. disposição do relevo, encontro de massas de ar, má formação das chuvas, vegetação degradada, atração da Floresta Amazônica, El Niño e inclinação dos raios solares.
  2. El Niño, ação humana, dias quentes, noites frias e poluição excessiva.
  3. População excessiva, El Niño, rios temporários e conselheirismo.
  4. Chuva intermitentes, calor equatorial, rios temporários.
  5. População escassa e muito calor o ano inteiro.

Prof.a. Celinha

10. Segundo Euclides da Cunha, a religião do sertanejo é mestiça:

  1. porque os sertanejos são mestiços.
  2. porque une catolicismo com espiritismo.
  3. porque une as religiões do índio, do negro africano e do branco brasileiro.
  4. porque une as religiões do índio, do negro africano e do colonizador português.
  5. porque une todas as religiões.

11. Segundo Euclides da Cunha, a República, para os sertanejos, era:

  1. uma forma de governo superior à monarquia.
  2. o reino do Anticristo.
  3. o reino do Messias.
  4. uma forma de governo inferior à monarquia.
  5. igual à monarquia.

12. O militar impassível que "organizava comboios e comprava muares" era:

  1. o Gen. Savaget
  2. o Ten. Pires Ferreira
  3. o Marechal Bittencourt
  4. o Cel. Moreira César
  5. o Cel. Tamarindo

Prof. Marco Antônio

13. Que fato marcou a vida de Euclides da Cunha, quando este estudou na Escola Militar da Praia Vermelha ?

  1. O falecimento da sua mãe.
  2. A eleição de Rui Barbosa, ídolo de Euclides, para a Presidência da República.
  3. O "Episódio do Sabre", que ocorreu durante a visita do Ministro da Guerra na referida escola.
  4. O lançamento do livro seu de poesias "Ondas".
  5. A convivência como Benjamim Constant, que tornou Euclides um convicto monarquista.

14. Dentre os livros escritos por Euclides da Cunha, estão:

  1. Os Sertões, Inferno Verde, À Margem da História.
  2. Contrastes e Confrontos, Peru versus Bolívia, À Margem da História.
  3. À Margem da História, Os Sertões, Sagarana.
  4. Os Sertões, À Margem do Tempo, Peru versus Bolívia.
  5. Inferno Verde, À Margem da História e Caderneta de Campo.

15. Euclides da Cunha trabalhou no Ministério das Relações Exteriores. Durante este período ele visitou que região do Brasil ?

  1. O sertão baiano
  2. A Amazônia
  3. O Rio Grande do Sul
  4. O interior de São Paulo
  5. O pantanal.

Prof. Paulo Herculano

16. Sobre o processo de miscigenação pelo qual a sociedade brasileira passou e a sua influência sobre a formação religiosa do povo brasileiro é correto afirmar que:

  1. este não teve qualquer influência sobre a formação religiosa do povo brasileiro.
  2. a sociedade brasileira não passou por qualquer tipo de processo de miscigenação.
  3. não teve nenhuma influência porque os povos que compuseram a sociedade não tinham qualquer formação religiosa.
  4. a formação religiosa do povo brasileiro é derivada natural do seu processo de miscigenação, atraindo para si elementos da cultura religiosa do negro africano, do branco europeu e do índio.
  5. n.d.a.

17. Em "Os Sertões", Euclides da Cunha:

  1. não faz qualquer referência sobre a influência da religiosidade do povo sertanejo.
  2. em momento algum no livro comenta a questão da miscigenação do povo brasileiro e a sua influência na formação religiosa da sociedade brasileira.
  3. dá destaque à formação religiosa do povo sertanejo, analisando-a sob os aspectos histórico ( influência da miscigenação na formação religiosa), social ( isolamento social do sertanejo visto como elemento que interferiu na sua formação religiosa) e cultural ( a religiosidade do sertanejo é elemento inerente a sua formação cultural).
  4. afirma que em momento algum o sertanejo, na Guerra de Canudos, combateu por motivos religiosos e que o motivo principal do combate, segundo Euclides da Cunha, era a formação política do sertanejo, que queria a restauração da Monarquia.
  5. n.d.a.

18. Experiência religiosa:

  1. "consiste essencialmente no sentido de absoluta dependência de Deus na vida humana" (Schleiemacher)
  2. não tem qualquer importância no estudo da formação religiosa do sertanejo.
  3. é importante para o estudo da formação do povo sertanejo, embora não importante para o estudo da Guerra de Canudos, uma vez que esta não teve qualquer relação com a formação religiosa do sertanejo.
  4. Euclides ignora a experiência religiosa do sertanejo ao escrever "Os Sertões".
  5. todas as alternativas anteriores estão erradas.

Prof. Nicola Costa

19. Euclides da Cunha escreveu em 1909 que vivia "no pior dos países possíveis e imagináveis". Pensando no Brasil atual, podemos concluir que tal afirmação é:

  1. exagerada, sem atualidade, descabida para o presente.
  2. ultrapassada, anacrônica, pois tudo melhorou.
  3. surpreendente e atual, infelizmente.
  4. pessimista demais para ser verdadeira.
  5. equivocada, sem sentido, carregada de emocionalidade.

20. Uma das causas estruturais mais importantes do atraso nacional, que ainda é responsável por muitos de nossos problemas econômicos e sociais é:

  1. o fanatismo religioso, rural e urbano.
  2. o analfabetismo de quase 20% da população brasileira.
  3. o tráfico de drogas.
  4. o latifúndio, a grande propriedade rural.
  5. a corrupção das elites.

21. Assinale a alternativa errada:

  1. Canudos foi uma comunidade que reuniu os excluídos, os marginalizados da sociedade sertaneja.
  2. Os principais inimigos de Canudos foram os fazendeiros, os padres e as autoridades republicanas.
  3. Em "Os Sertões", Euclides da Cunha mostrou o Brasil que ninguém queria ver na época, nem gosta de ver hoje em dia.
  4. A Guerra de Canudos em nada pareceu com os outros conflitos existentes no Brasil, anteriores e posteriores.
  5. Antônio Conselheiro foi um líder monarquista, anti-católico e fanático.

Prof.a. Cidinha

22. Assinale a afirmação falsa, baseando-se em "Os Sertões":

  1. divide-se em três partes: A Terra, O Homem e a Luta.
  2. pertence ao período literário denominado Pré-Modernismo.
  3. uma multidão de sertanejos fora arrastada para Canudos pelas pregações de Conselheiro.
  4. A natureza condiciona o comportamento do homem de acordo com as concepções do determinismo científico de fins do século XIX.
  5. Trata da autopunição do sertanejo enganosamente atraído para a Amazônia onde passa a viver como escravo.

23. Em termos de Literatura Brasileira, o livro "Os Sertões" é importante porque:

  1. é uma obra impregnada de romantismo.
  2. é uma obra que retrata a destruição de uma população marginalizada e culturalmente atrasada.
  3. é o maior marco divisor de nossa literatura e o ponto de partida para escritores posteriores da linha regionalista do Modernismo.
  4. é uma obra que apresenta três partes fundamentais do trinômio de Taine: meio, raça e momento.
  5. tem um estilo pomposo e oratório para impressionar os leitores.

24. "Fazedores de Desertos", "Um Velho Problema", "Judas Ashverus", "Transacreana" são artigos ou estudos que se encontram respectivamente nas obras:

  1. Peru versus Bolívia e Contrastes e Confrontos.
  2. Contrastes e Confrontos e À Margem da História.
  3. Castro Alves e seu tempo e Contrastes e Confrontos.
  4. Os Sertões e Peru versus Bolívia.
  5. Canudos, diário de uma expedição e À Margem da História.

Prof. Daniel

25. A respeito da obra "Os Sertões" de Euclides da Cunha é errado afirmar:

  1. foi o ponto de partida para uma série de outras obras de vários autores que abordavam a mesma temática, ou seja, a difícil vida no sertão nordestino.
  2. foi um livro vingador.
  3. tratava de um problema, até então desconhecido da maioria dos brasileiros.
  4. foi a única obra de expressão , de Euclides da Cunha.
  5. n.d.a.

26. A respeito da Ponte Metálica de S.J.R.Pardo, construída por E. Cunha, podemos afirmar que:

  1. foi construída depois da publicação do livro "Os Sertões".
  2. é uma obra gêmea do livro "Os Sertões", ou seja foi construída ao mesmo tempo em que o livro era escrito.
  3. foi construída dois anos antes da publicação de "Os Sertões".
  4. não teve importância significativa para a vida da cidade.
  5. algum tempo após sua construção, veio a desabar.

 

27. A Semana Euclidiana acontece em S.J.R.Pardo há 86 anos, pois:

  1. representa a divulgação da cidade em outros pontos do mundo.
  2. é apenas um pretexto para atividades de diversão na cidade.
  3. celebra a obra de E. da Cunha que é um marco, ou seja, um ponto de partida para, um novo tipo de leitura nacional e portanto merece destaque.
  4. é a festa e comemoração do aniversário da ponte.
  5. n.d.a.

Prof.a. Ana Rita

28. Euclides da Cunha tinha grande consideração por operários e companheiros que o aconselharam na reconstrução da ponte, eram eles:

  1. preto Benjamim, Atílio Piovesan e Humberto de Queiróz.
  2. Torquato Colli, Guido Marchi, preto Benjamim, Mateus Colota e Garibaldi Rossi.
  3. Mateus Colota, D'Andrea e Garibaldi Trecoli.
  4. Valdomiro Silveira, Agostinho Rossi e Guido Marchi.
  5. Álvaro Ribeiro, Valdomiro Silveira e Agostinho Rossi.

29. Em S.J.R.Pardo, Euclides criou laços importantes para a sua obra, como o grande amigo incentivador e colaborador:

  1. Torquato Colli
  2. Guido Morelli
  3. Francisco Escobar
  4. Pedro A. de Aquino
  5. José Rodolfo Nunes

30. O você considera o elo mais forte entre Euclides da Cunha e S.J.R.Pardo ?

  1. a ponte
  2. o livro
  3. a cabana de zinco
  4. Canudos
  5. os amigos e companheiros

Prof. Guilherme

31. "A Ordem como meio e o Progresso como fim" essa frase ilustra de maneira bem clara o pensamento:

  1. determinista
  2. progressista
  3. darwinista
  4. positivista
  5. futurista

32. Euclides da Cunha como homem de seu tempo tinha sido muito influenciado por grandes pensadores da época, o mais importante porém foi:

  1. Jean Paul Sartre
  2. Karl Marx
  3. Augusto Conte
  4. Benjamim Constant
  5. Frederic Angels

33. Em um determinado momento os intelectuais do séc. XIX pensavam que toda a sociedade quanto influenciada pela miscigenação podia acabar por se tornar pouco produtiva e por que não dizer uma sub-raça, essa idéia ilustra o:

  1. evolucionismo
  2. desenvolvimentismo
  3. determinismo
  4. produtivismo
  5. euclidianismo

Prof. Guilherme II

34. Hoje vemos um grande desenvolvimento no setor fluvial no Brasil em função do Mercosul, porém no passado Euclides já alertava para a utilização desde meio no artigo:

  1. Os caminhos do Brasil
  2. Rios em abandono
  3. Rios do Brasil
  4. A utilização dos Rios e o Comércio Brasileiro.
  5. A Nossa Vendéia

35. Em seus escritos uma das principais preocupações de Euclides da Cunha era com a situação de abandono que o interior do Brasil vivia. Ao longo de nosso século o governo criou organismos para tentar solucionar esses problemas, respectivamente os que foram criados para cuidar do Norte e Nordeste foram:

  1. Sudam e Sudene
  2. Sufran e Sudeca
  3. Sudene e Sudam
  4. Codeam e Codene
  5. n.d.a

36. As duas mais modernas Hidrovias existentes hoje no Brasil são:

  1. São Francisco e Tietê
  2. Tietê e Amazônica
  3. Tietê - Paraná e Madeira
  4. Madeira e Amazônica
  5. São Francisco e Amazônica

37. Em que artigo E. da Cunha fala do problema dos desmatamentos amazônicos ?

  1. Um velho problema.
  2. Fazedores de desertos
  3. Os Caucheiros
  4. Planos de uma Cruzada
  5. A nossa Vendéia

Prof. Rigéria

38. Euclides da Cunha usou idéias de vários artigos seus para escrever o livro "Os Sertões". Para qual jornal ele trabalhava quando foi enviado, como correspondente especial, à Bahia para noticiar a Guerra de Canudos:

  1. Gazeta do Rio Pardo
  2. O Estado de S. Paulo
  3. Folha de S. Paulo
  4. Gazeta de Notícias
  5. Gazeta Mercantil

39. Em quais grandes jornais do Rio de Janeiro e S. Paulo Euclides da Cunha trabalhou como jornalista, publicando seus artigos:

  1. O Estado de S. Paulo e Gazeta do Rio Pardo.
  2. Gazeta de Notícias e Gazeta do Rio Pardo.
  3. Gazeta de Notícias e O Estado de S. Paulo
  4. Folha de S. Paulo e Gazeta de Notícias
  5. O Globo e O Estado de S. Paulo

40. Verifique qual a alternativa que apresenta idéias seguidas por E. da Cunha durante a cobertura jornalística da Guerra de Canudos:

  1. Subjetividade - Jornalismo Opinativo - Jornal
  2. Objetividade - Jornalismo Informativo - Revista
  3. Objetividade - Jornalismo Interpretativo - Jornal
  4. Subjetividade - Jornalismo Opinativo - Revista
  5. Objetividade - Jornalismo Informativo - Jornal
O Berrante Online é uma criação coletiva do Coletivo Euclidiano. Contribuições são bem-vindas!